Archive | setembro 2013

MENDOZA – 1884 RESTAURANTE

Gente!!! Para quem está programando viagem para Mendoza, temos uma nova dica de restaurante que nos pareceu imperdível. Trata-se do “1884 Restaurante”. O restaurante foi inaugurado em 1996, em homenagem aos vinhos de Mendoza e à cozinha andina (que quem conhece sabe que é ma-ra-vi-lho-sa!), tendo sido idealizado pelo Sr. Nicolas Catena Zapata e pelo chef Francis Mallmann. Localiza-se dentro da Bodega Escorihuela .

Para saber mais: http://www.1884restaurante.com.ar

USHUAIA – PARTE III – ONDE COMER

Além da beleza e das atividades de inverno, Ushuaia também possui uma gastronomia sensacional. A centoulla e a merluza negra são simplesmente divinas e cada lugar tem um jeito mais especial que o outro de fazê-las. O cordeiro patagônico também tem sua fama na região. O vinho e o chocolate quente, claro, são sempre muito bem vindos.

Abaixo, uma seleção com dicas de lugares para comer e beber em Ushuaia. Aproveite!!!

 – Kuar

Este restaurante, sem dúvida alguma, foi o melhor de toda a nossa viagem. Comemos de entrada um mix de brusquetas que estava divinamente delicioso. De prato principal, fomos de merluza negra. Tudo muuuito bom!

ImagemImagem

– Chez Manu

O restaurante Chez Manu é uma atração a parte em Ushuaia. Fica localizado num lugar bem alto, possuindo uma vista simplesmente maravilhosa da cidade! Comemos de entrada uma sopa de cebola e de prato principal a Centoulla Chez Manu (ela vem gratinada, uma delícia!). De sobremesa, fomos de creme brullè.

ImagemImagemImagem

– Tante Sara

O Tante Sara é um lugar ótimo para fazer um lanche. O chocolate quente é divino! O sanduíche de rosbife maravilhoso!!!

ImagemImagemImagem

– Tante Nina

Foi no Tante Nina que comemos de entrada a centoulla ao natural (sem condimentos) e com a facilidade de não precisar cortá-la… ela já vem toda picadinha.. .rsrsrsr… é um ótimo jeito para sentir o gosto exato do crustáceo, sem a dificuldade que é destrinchá-lo. Adoramos! De prato principal, comemos a famosa merluza negra!

ImagemImagemImagem

– Volver

Aqui, a centoulla natural (sem condimentos) vem inteira!!!! O garçon te ensina como comê-la. Preferimos comê-la gratinada mesmo. Estava bem saborosa! rsrsrsrs

ImagemImagemImagemImagemImagem

– Andino

O Andino é um lugar em Ushuaia que está 24hs do dia aberto. É ótimo para matar aquela fome que dá em horários nada convencionais.  rsrsrs….

Imagem

– Empanadas Dieguito

Nossa! Uma delícia!!!! O lugar é bem simples, mas adorávamos comprar as empanadas quentinhas e levar para comer no quarto do hotel acompanhadas de uma boa cerveja patagônica… rsrsrs O preço é outro atrativo.

Imagem

– Maria Lola

O Maria Lola é um restaurante bem famoso na cidade e possui uma vista linda do Canal de Beagle. O prato que pedimos – risoto de frutos do mar – não caiu muito bem… estava gostoso, mas o fato de o polvo vir inteirinho, com cabeça e tudo, nos deu uma certa indigestão… rsrsrs

ImagemImagem

– Kaupé

O Kaupé é o restaurante considerado n.º 1 em Ushuaia. É realmente divino! Comemos merluza negra e a sobremesa era de chocolate com doce de leite… Nossa!

ImagemImagemImagem

– Bodegon Fueguino

É super famoso pelo cordeiro patagônico. Fica lotado!!! É gostoso, mas não sei se foi o prato que escolhemos, mas a carne veio com muuuuito osso!!!

ImagemImagem

– Laguna Negra

Nossa! O que dizer da Laguna Negra? Chocolate TOP!!! Chocolate quente TOP!!! Tostado TOP!!! rsrsrsr… é daqui que saem os melhores presentes para levar pra casa! Tudo aqui é tão bom, que nem lembramos de tirar fotos…. rsrsrsrs

Detalhe: é possível comprar os chocolates da Laguna Negra – inclusive a preços um pouco mais baixos – no restaurante Andino, que fica localizado a duas quadras na mesma av. San Martin.

USHUAIA – PARTE II – O QUE FAZER

O inverno em Ushuaia oferece inúmeros atrativos interessantes, os quais atendem pessoas de todas as idades, seja criança, jovem, adulto.

Assim que chegar em Ushuaia, não deixe de dar uma passada na Secretaria de Turismo para carimbar seu passaporte com os carimbos da cidade e também pegar o seu certificado com a inscrição “estive no fim do mundo”. Com certeza, uma lembrança inesquecível! Ah! E é de graça! rsrsrsr… A Secretaria do Turismo fica na avenida San Martin, n.º 674. Lá também você consegue todas as informações que precisar sobre a cidade. E a casinha onde está instalada a secretaria é um charme… rende uma foto bem bonitinha…rsrsrs…

Ushuaia - junho - 2013 112

Em poucas horas é possível ir de um ponto a outro da cidade. Andando pela avenida Prefectura Naval Argentina você terá de um lado o Canal de Beagle – de onde saem passeios de barcos – e do outro, o monumento a Los Caídos em Malvina e o Paseo del Centenario. Na avenida San Martín concentra-se o centro comercial da cidade, com lojas, alguns restaurantes, lanchonetes e casas de chocolates. Se você der sorte de pegar um dia de muita neve, verá como é gostoso andar pela cidade, tirando fotos, fazendo bonecos de neve e até se arriscando a fazer um anjinho na neve… rsrsrs… fizemos tudo isso!!!

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

O dia que você tirar para andar pela cidade, pode aproveitar para conhecer os Museus Marítimo e do Presídio. O mesmo ingresso dá acesso a ambos os museus. O Marítimo conta a história das expedições antárticas. A história vei sendo contada através de réplicas dos barcos que foram utilizados na época. Bem legalzinho! Já o Museu do Presídio é bastante interessante! Isso porque o presídio foi a primeira forma de colonização de Ushuaia. Em janeiro de 1896, a bordo do navio “1º de Mayo”, chegou em Ushuaia o  primeiro grupo formado por quatorze presidiários, os quais deram início ao “Cárcere de Reincidentes”. Ao cárcere foram enviados delinquentes autores de delitos considerados graves, muitos deles condenados a reclusão perpétua ou de longa duração. Inicialmente, o presídio funcionava em casas de chapa e galpões. Em 1902 foi iniciada a construção do Presídio Nacional, o qual chegou a alojar mais de seiscentos presidiários. Andando pelo Museu é possível conhecer os cinco pavilhões do presídio, bem como o hall central. Em algumas celas, há réplicas em tamanho original de alguns prisioneiros famosos. Quadros explicativos contam os crimes bárbaros por eles cometidos. Entrar no pavilhão cinco, que se conserva exatamente como era antigamente, chega a dar arrepio. O cheiro forte e o frio são assustadores. Vale a visita!

Imagem

Imagem

Tire um dia para conhecer o Parque Nacional Terra do Fogo e andar no Trem do Fim do Mundo.

O Trem do Fim do Mundo tem saídas diárias às 10hs da manhã e às 15hs da tarde. O trem percorre o mesmo caminho utilizado pelos presos há 100 anos, revivendo toda a história. Ao longo do seu trajeto, há um áudio que conta como tudo aconteceu. Você passa por paisagens lindas!!! Há uma parada para foto em um lugar incrivelmente belo!

É possível fazer esses dois passeios – ao Parque e no Trem – em um único dia. Neste caso, uma agência de turismo cuidará dos deslocamentos – hotel/trem/parque/hotel.

Existe transporte público para o Parque Nacional, que é o mesmo que leva até a estação do trem. Deve ser contratado em uma agência de turismo ou no próprio hotel. Há dois horários de retorno saindo do parque, um às 15 e outro às 17hs.

ImagemImagemImagemImagem

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Uma atração imperdível em Ushuaia chama-se “Fuegon Blanco” feita no Cerro Valle dos Lobos. Esse passeio é noturno. A experiência é sensacional! Dura mais ou menos umas quatro horas.

Tudo começa às 18hs, quando já está escuro em Ushuaia e um transfer te busca no hotel para te levar ao centro invernal. Uma vez no cerro, você irá começar a noite fazendo um passeio de moto de neve por uma estradinha incrivelmente bela! Depois, trenós puxados por huskies levam até um refúgio no meio do vale. Dá um pouco de dó dos peludos, mas eles são sensacionais!!! Eles são treinados para isso. O dono do Valle dos Lobos já foi campeão de corrida de trenós e cuida muito bem deles. Então, esqueça a dó e curta o passeio. No refúgio, é servido um chocolate quente e um bolinho e, em seguida, inicia-se uma caminhada com raquetes de neve. É super interessante. A caminhada é curta até a casa da administração do cerro Valle dos Lobos. Um jantar típico patagônico é servido, com direito a uma garrafa de vinho da bodega Del Fin Del Mundo (muito bom!), empanadas argentinas de entrada e um cordeiro patagônico de prato principal. A noite é incrivelmente linda!

Importante dizer que não só o Valle dos Lobos faz esse passeio. Na verdade, inúmeros centros invernais tem a mesma atração, alguns, porém, não tão completos como este. Cada agência dá um nome diferente a esse passeio. Fuegon Blanco é o do Valle dos Lobos.  O legal do Valle dos Lobos é que todo o trajeto se dá em uma floresta linda demais! E a paisagem é, sem dúvida, uma atração a parte deste passeio.

Um detalhe: como o passeio acontece à noite e ao ar livre, use roupas quentes e, se possível, impermeáveis. Não se esqueça do corta-vento!

O Valle dos Lobos também oferece atividades de neve durante o dia. É possível andar de moto de neve ou mesmo de trenós puxados por cachorros a parte.

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Outro passeio imperdível em Ushuaia é o de barco pelo Canal de Beagle. Contratamos o tour na agência Che Tango. Uma dica interessante é pagar pelo tour que sai pela manhã e no catamarã menor. Isso porque, como já mencionamos em outro post (Ushuaia – parte I – dicas iniciais), escurece cedo em Ushuaia, então , saindo de manhã é possível fazer todo o passeio ainda de dia. O catamarã menor é aconselhável, porque vão menos pessoas e não há briga por um lugarzinho no barco para uma boa foto! Durante o passeio você verá comorones, leões marinhos, condores e, se tiver sorte, até pinguins. Os pinguins, durante o inverno, migram para outras regiões, por isso, a chance de vê-los aqui nessa época é bem pequena. Nas outras estações, há uma parada para andar ao lado desses pequenos simpáticos… rsrsrs….

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Fazer uma travessia 4 x 4 com a Agência Canal Fun também foi um passeio bem legal. Passamos por lugares incrivelmente belos. Foi uma experiência bem divertida. Não vimos nenhum castor durante o nosso passeio, pois, no inverno, eles hibernam. Mas ficamos sabendo que eles são quase que uma praga aqui… rsrsrsr….

ImagemImagemImagemImagemImagem

Esquiar ou praticar snowboard na estação de esqui Cerro Castor é uma atração a parte em Ushuaia. Para quem nunca praticou essas modalidades – foi o nosso caso – é possível contratar uma aulinha por 2 ou 3hs. Valeu muuuito a pena! A estação de esqui é linda e tem várias pistas com diferentes graus de dificuldade. Não temos fotos dessas lindas pistas pois não chegamos a nos aventurar nelas. Ficamos apenas no pedacinho da estação destinado a aprendizes…. rsrsrsrs…

Uma dica que reputamos interessante: se for alugar equipamentos de esqui ou de snowboard, dê preferência para as lojas de aluguel da cidade, que possuem equipamentos a preços mais acessíveis. Deixar para alugar na estação de esqui do Cerro Castor sairá bem mais caro. Nós alugamos tudo na Jumping.

ImagemImagemImagemImagem

Outra visita que vale a pena em Ushuaia é ao Cerro Martial. Lá tem uma vista linda da cidade de Ushuaia e do Canal de Beagle. Nesse local , também é possível contratar aulas de esqui para principiantes. O preço é bem menor que o cobrado no Cerro Castor. Muita gente faz aulas aqui antes de se aventurar a esquiar no Cerro Castor.

Ao lado do Cerro Martial tem um lugarzinho super charmoso, a Cabaña Casa de Té. É muuuito fofa! Mesmo quem não é tão fã de chá, vale a pena pedir um, só para poder curtir a preparação do seu próprio chá. É uma graça! O lugar parece uma casa de boneca. Oferece fondue no jantar. Infelizmente não deu tempo de irmos.

Ushuaia - junho - 2013 514 Ushuaia - junho - 2013 516

Como falamos anteriormente, há vários centros de atividades de inverno em Ushuaia. O Centro Invernal Tierra Mayor, por exemplo, possui uma variedade enorme delas, como motos de neve, esqui de fundo, trenós puxados por huskies, entre outros. Lá há uma atividade que dura por volta de umas quatro horas e que se chama Experiência Huskie. Nela você apreende a comandar um trenó puxado por cachorros… Deve ser uma experiência bem legal, mas não chegamos a fazê-la… Nos limitamos a fazer o passeio de moto de neve. Dura uns 15min. É legalzinho, mas muito rápido. Além disso, o Centro Invernal Tierra Mayor não está situado em um lugar tão lindo quanto o Valle dos Lobos, onde fizemos aquela atividade noturna citada acima. De qualquer forma valeu pilotar um pouquinho na neve…rsrsrs!

ImagemImagemImagemImagemImagemImagem

USHUAIA – PARTE I – DICAS INICIAIS

Ushuaia é uma cidade da Argentina e capital da Província da Terra do Fogo. É conhecida como a cidade mais austral do mundo, para muitos, localizada no fim do mundo…rsrsrs

Imagem

Conhecer Ushuaia sempre foi um sonho, o qual somente foi possível de realizar em junho deste ano. Ainda éramos namorados quando surgiu a ideia de fazermos essa viagem em estilo mochilão. O tempo foi passando e ficamos noivos, e Ushuaia se tornou o destino da nossa lua de mel. Lua de mel que foi frustrada por forças da natureza, pois, infelizmente, o vulcão Puyehue, localizado ao sul do Chile, resolveu dar o ar da graça e entrou em erupção, impossibilitando voos tanto para as cidades turísticas do Chile, quanto da Argentina. Fomos barrados no aeroporto de São Paulo ao tentar despachar nossas malas. Mas esse ano, depois de dois anos de casados, a tão sonhada e planejada viagem tornou-se realidade e nos embarcamos emocionados para o “fim do mundo”!

Tudo foi lindo! Tudo foi perfeito!

Tão logo chegamos em Ushuaia, a pequena cidade nos recebeu com os primeiros flocos de neve da temporada. Foi emocionante ver, das janelas do restaurante do nosso hotel, a neve cair lentamente, brincando no vento, como se estive nos saudando com boas vindas! Em fim conhecemos Ushuaia e, se Deus nos permitir, com certeza, um dia, voltaremos para celebrar bodas de alguma coisa! rsrsrsr….

ImagemImagem

Um pouco de Ushuaia:

Ushuaia é uma cidade pequenina, mas cheia de charme!

A Lan e a Aerolíneas Argentinas possuem voos regulares para lá. Um detalhe importante, que sempre surpreende os turistas ao embarcar no aeroporto para sair da cidade, é a cobrança de uma taxa “extra” de embarque (sim, mais uma, além daquelas já cobradas pela companhia aérea). Contudo, o valor é razoável, 28 pesos por pessoa. Não se esqueça de reservar esse dinheiro para não ser surpreendido com os bolsos vazios de pesos no aeroporto!

A alta temporada é no verão, de dezembro a março. Fomos em junho, logo no início do inverno, quando em Ushuaia é possível fazer passeios simplesmente encantadores! As notícias do frio nessa época assustam um pouco, mas por experiência própria, estando com a vestimenta certa, o frio em Ushuaia é totalmente suportável e, com o tempo, é possível até se acostumar com ele…rsrsrs… (falaremos sobre roupas de frio em um post específico, ok!).

No inverno os dias são extremamente curtos e as noites bem longas. Geralmente começa a amanhecer por volta das 10hs da manhã e às 17hs já está escurecendo. No entanto, isso não é problema em Ushuaia, haja vista existir inúmeros atrativos para se fazer no período noturno. Inclusive o próprio comércio fica aberto até mais tarde no período invernal.

Em Ushuaia, assim como em Buenos Aires, além do peso argentino (moeda oficial), aceita-se, euro, dólar e até real. Quando fomos, levamos praticamente tudo em dólar e conseguimos trocar a moeda por um câmbio bem interessante, principalmente nas lojas de aluguel de equipamento de esqui e snowbord. A atual política econômica do país tem feito com que os locais paguem alto pelo dólar e pelo euro, já que sofrem restrições para adquirir essas moedas. Ah! A iminência da copa do mundo no Brasil também tem aumentado a procura por reais, valorizando o câmbio também em relação à nossa moeda. Sorte nossa!!! rsrsrsr….

Ushuaia tem vários hotéis, para todos os gostos e todos os bolsos. Ficamos no Alto Andino. Trata-se de um hotel super bem localizado, com um atendimento de primeira e um café da manhã simples. Dispõe de quartos standard e de apartamentos. Reservamos um apart e foi perfeito! (não reparem a bagunça….rsrsrsr)

ImagemImagem

Para quem é apaixonado por esquiar e não está preocupado em gastar um pouco mais com estadia, pareceu-nos bem interessante reservar alguns alguns dias da viagem para ficar hospedado nos chalés do centro de esqui Cerro Castor. O Castor Ski Lodge é um complexo de quinze casas independentes que ficam na base do Cerro Castor. Simplesmente um charme!!!

Para mais informações, acesse: http://www.castorskilodge.com/

Um outro hotel que chegamos a cogitar em ficar, mas que por ser mais afastado nos fez mudar de idéia, chama-se Los Cauquenes Resort e Spa. Parece ser um hotel bem interessante, ótimo para relaxar depois de aproveitar bastante todas as programações que Ushuaia tem para oferecer. Para mais informações, http://www.loscauquenes.com/pt/

Em Ushuaia dá para fazer muita coisa a pé, pois como dissemos, a cidade em si é bem pequena. No entanto, nos deslocamentos para locais mais afastados, por exemplo para os centros invernais (onde acontecem as atividades de inverno), ou para o centro de esqui Cerro Castor ou, ainda, para o Parque Nacional Terra do Fogo, dentre outros, sempre peça para a recepcionista do seu hotel verificar o que fica mais barato, se chamar um táxi, ou contratar um remis.

Ah! Existe a Localiza Rent a Car em Ushuaia, no entanto, lembre-se que no inverno é preciso ter cuidado redobrado ao dirigir pois com a neve, as pistas ficam mais escorregadias e o carro tem mais dificuldade para frear.

Ushuaia é uma zona franca, o que não quer dizer, necessariamente, que os preços sejam mais baratos, pois geralmente o que não se paga de imposto é revertido em lucro pelos comerciantes. Contudo, ainda assim, é possível encontrar barganhas na cidade. Existe, ainda, uma loja Duty Free, na Av. San Martin, com preços de free shop. Aproveite a seção de vinhos!

BUENOS AIRES – DICAS RÁPIDAS

Buenos Aires é, sem dúvida, um lugar delicioso de se passear! Cheio de cultura, gente hospitaleira, comida deliciosa, vinhos maravilhosos…! Por gostar tanto e porque vários amigos nos pedem dicas do que fazer, comer e ver, resolvemos montar uma lista rápida dos imperdíveis para aqueles que vão conhecer a nossa vizinha pela primeira vez! Seguem as dicas:

Bairro La Boca: não deixe de conhecer o Caminito e o estádio de futebol La Bombonera

ImagemImagemImagemImagemImagem

Bairro San Telmo: deixe para visitar San Telmo no domingo, quando acontece a feira de antiguidades. Prepare-se para ver de tudo! rsrsrs…. Almoce no restaurante La Brigada. O restaurante possui uma decoração dedicada aos amantes do futebol. É sensacional, mas chegue cedo, fica lotado!

Buenos Aires 2010 098 Buenos Aires 2010 100

Bairro Montsserrat: visite os pontos turísticos “Plaza de Mayo”, “Casa Rosada”, “Catedral Metropolitana” e o Congresso Nacional. Delicie-se no café das cinco do Café Tortoni – tome um submarino! Hummmm!

ImagemImagem

Bairro Centro: Passeie pela Calle Florida, pela Galerias Pacífico e pela Plaza San Martin. Visite o Teatro Colón, é lindo! E tire fotos do famoso Obelisco, espécie de marco zero da cidade.

Imagem

Bairro Recoleta: Visite o cemitério de La Recoleta, onde fica o túmulo da Evita Perón. Passeie pelo shopping-butique Patio Bullrich, um dos mais refinados da cidade e que possui renomadas grifes internacionais e nacionais.

a 007

Bairros Palermo e Palermo Viejo: são bairros gostosos para caminhar pelas ruas. Possuem várias lojinhas e barzinhos nas praças. Passeie pelo Parque Três de Febrero (entre as Avenidas del Libertador, Samiento, Figueroa Alcorta e Infanta Isabel). Visite o Planetário Galileo Galilei e tire foto com a Floralis Genérica, uma flor enorme artificial feita de aço e alumínio que possui vinte metros de altura e que abre suas seis pétalas quando há sol e se fecha ao escurecer  (avenida Pte. Figueroa Alcorta e Calle Áustria, s/n.º). Para amantes de artes, o Malba – Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires fica nessa região. Em Palermo Viejo, exatamente na avenida Córdoba, entre a Calle Lavalleja e a Avenida Juan B. Justo, concentram-se os outlets de algumas grifes concorridas.

a 014

Puerto Madeiro: passeie pelos diques de Puerto Madeiro à noite. É uma delícia e super seguro! Tire fotos na Puente de La Mujer. Ao longo dos diques há vários restaurantes sensacionais! Os cardápios ficam expostos nas calçadas, bem na porta dos restaurantes. Aproveite o preço dos vinhos e tome um delicioso malbec! Após o jantar, não deixe de ir na Delicatessen Central Market: o mil folhas de doce de leite é dos deuses!!!!!!!!

Ushuaia - junho - 2013 037

Buenos Aires 2010 085 Buenos Aires 2010 083

Bairro Abasto: esse é o bairro onde moraram Carlos Gardel e Aníbal Troilo, nomes ilustres do famoso tango argentino. Quando se caminha pelas ruas deste bairro, o que se vê nas paredes das casas são trechos de partituras, estátuas de Gardel, pinturas criativas e caricaturas. Na Calle Zelaya, Gardel é o grande homenageado! Passeie pelo Paseo del Tango, calçadão na ruela Carlos Gardel (Pasaje Carlos Gardel, entre as Calles Anchorena e Jean Jaurés). Visite o Shopping Abasto, maior shopping da cidade, que antigamente era um importante mercado central da cidade e que, mesmo depois de passar por uma reforma, conserva as abóbadas e os grandes vãos, que fazem sua beleza.

a 029 a 028 a 024

Outras dicas:

– Não deixe de tomar sorvete nas sorveterias “Persico” e “Freddo”. O de doce de leite é ma-ra-vi-lho-so!!!! Experimente também o de marron glacé!

– Programe-se para assistir ao show de tango no Señor Tango.

a 071

– As empanadas argentinas do “El San Juanino” são sensacionais! Acompanhadas de uma Quilmes gelada ficam ainda melhor! Este restaurante fica no bairro Recoleta, na Calle Posadas, n.º 1515 – perto do Shopping Pátio Bullrich.

– A Livraria El Ateneo Gran Splendid, localizada na avenida Santa Fé, n.º 1860, no bairro Norte é linda e vale muuuuuito a visita!

Buenos Aires 2010 049 Buenos Aires 2010 048

-Se quiser comprar bons vinhos, indicamos a Winery (Avenida Leandro N. Alem, n.º 880, Puerto Madero).

– Coma muuuitos alfajores da Hawana!!!!

– Por fim, se tiver com tempo sobrando, um lugarzinho gostoso para passar o dia é Tigre, ilha do Delta do Paraná, que fica ao norte de Buenos Aires. Trata-se de um centro de veraneio. Dá para ir e voltar em um dia conjugando o metrô com o trem.

Buenos Aires 2010 082 Buenos Aires 2010 066 Buenos Aires 2010 059 Buenos Aires 2010 057

– Grande parte do deslocamento em Buenos Aires pode facilmente ser feito de metrô. Se for utilizar as linhas de ônibus lembre-se de que só são aceitas moedas como forma de pagamento. Os preços de transporte público são bem acessíveis, inclusive o táxi.

FERNANDO DE NORONHA – PARTE III – ONDE COMER

Para nós, tanto quanto as praias, Noronha foi nota 1000 no quesito comer bem! Eis a nossa lista dos top de Fernando de Noronha:

Restaurante da Pousada Beijupirá Lodge:

A nossa chegada em Noronha já começou deliciosamente bem! Como ficamos hospedados na Beijupirá Lodge, no nosso primeiro dia na ilha resolvemos aproveitar para jantar no restaurante da própria pousada, o qual é aberto a não hóspedes mediante reserva antecipada. O restaurante fica na varanda da pousada com vista para o Morro do Pico. Uma delícia! O prato escolhido foi o peixe na manteiga de castanha, arroz de espinafre e batatas assadas. Hummmm!!!!

Imagem

O Mergulhão: 

O Mergulhão é um restaurante ma-ra-vi-lho-so, que fica numa parte mais alta com vista para o Porto de Santo Antônio. É um lugarzinho tão gostoso que não dá vontade de ir embora. Há mesas no salão interno, mas o bom mesmo é se aconchegar nos almofadões que ficam sob tendas do lado de fora do restaurante. Pedimos dois pratos: O peixe com banana (divino!) e o peixe arretado (atum ao molho de pitanga com cuscuz nordestino (sensacional!). De sobremesa, creme brullè com calda de tamarindo…simplesmente dos deuses!!!!!! Uma pena que não conseguimos retornar!

ImagemImagemImagemImagem

Palhoça da Colina:

O restaurante Palhoça da Colina é uma proposta super diferente que existe em Noronha. Os donos recebem um número limitado de clientes por noite (logo, necessário reserva), o valor é fixo (bebidas à parte) e o jantar é um mistério. Ao chegar, somos acomodados em almofadas e o jantar é servido em uma mesa coletiva toda à luz de velas. O peixe na folha de bananeira é a sensação da noite! As caipirinhas são divinas!!!

ImagemImagem

Restaurante da Pousada Zé Maria – Festival Gastronômico:

O festival gastronômico da Pousada Zé Maria é praticamente uma atração turística em Fernando de Noronha. É preciso reservar com antecedência e o valor pago é fixo. Durante o festival, uma mesa enorme com uma extensa variedade de deliciosas comidas são servidas aos “convidados”! O proprietário Zé Maria abre a noite, convidando o pessoal a se portar em torno da mesa e a chef da casa descreve prato por prato da mesa. Depois de comer muuuito, os pratos salgados são retirados dando lugar a milhares de doces maravilhosos, licores, chás e café. Uma experiência gastronômica que vale a pena!

ImagemImagemImagemImagemImagem

Cacimba Bistrô:

O Cacimba Bistrô fica no centro histórico da Vila dos Remédios e, apesar de ter um cardápio enxuto, dá para ficar na dúvida na hora de pedir! rsrsrs… Nesse dia experimentamos o penne com frutos do mar e, de sobremesa, uma deliciosa torta de chocolate!

ImagemImagem

Varanda:

O Varanda é um restaurante bem gostosinho que fica na Vila do Trinta. A entrada formada por um mix de pastéis é deliciosa! De prato principal, fomos de camarão no creme de moranga. Muito bom!

Imagem

Xica da Silva:

O Xica da Silva fica na Floresta Nova e é um restaurante um pouco mais descontraído, possuindo um cardápio menos refinado e de preços mais acessíveis. Comemos uma moqueca de peixe e camarão baiana que estava bem gostosa!!!

Imagem

Restaurante da Pousada Teju Açu:

O restaurante da pousada Teju Açu é lindo! Fica numa varanda bem ampla e ventilada, com vista para uma piscina iluminada. Um charme! A sobremesa foi divina: petit gateau de goiabada.

Imagem

Restaurante Self Service Flamboyant:

Tirando as opções tops acima, não poderíamos deixar de mencionar que Noronha possui restaurantes a quilo que funcionam para almoço. O Flamboyant fica na pracinha da entrada da Vila dos Remédios, de fácil acesso. É bem simples, com pouca variedade. O fato é que, como demos preferência para o jantar em Noronha (salvo o dia que tiramos para curtir a tarde no restaurante Mergulhão), esse self service nos atendeu bem. Outros a quilo na ilha: Restaurante do Biu e Acquamarine.

Uma última dica, mas não menos interessante: não deixe de experimentar o bolinho de tubalhau no bar anexo ao Museu do Tubarão. É gostoso, principalmente se acompanhado de uma caipi de kiwi!!! Antes do almoço no Mergulhão, abrimos o nosso apetite ali… rsrsrsr….

FERNANDO DE NORONHA – PARTE II – AS PRAIAS

Fernando de Noronha é, sem dúvida, o lugar que possui as praias mais lindas do Brasil. São mesmo de encher os olhos e encantar a alma!!! Neste post falaremos um pouquinho de cada uma delas:

Praia do Sancho:

Considerada a praia mais bonita do Brasil, o Sancho impressiona pela cor azul turquesa de suas águas. É um ótimo lugar para um banho de mar e um dos melhores pontos para mergulho.

Para chegar até o Sancho, é preciso pegar um bugue na cidade, o qual te deixará na entrada que dá acesso à praia. Aqui é necessário comprovar o pagamento do ingresso para entrada no Parque (mais detalhes no post “Fernando de Noronha – Parte I).

No local onde se faz o controle de acesso à praia, há infraestrutura de loja, banheiro, chuveiro e lanchonete. A partir de lá, iniciam-se passarelas que levam a dois mirantes (dos Golfinhos e do Morro dos Dois Irmãos) e à escadaria que dá acesso à praia do Sancho. 

O alto do penhasco, antes da escadaria que dá acesso à praia, é um lugar excelente para tirar fotos incríveis. 

Para colocar os pés na areia, é necessário descer por uma escadinha instalada numa fenda apertada e depois descer mais uma sequência de degraus. A praia em si não conta com infraestrutura de banheiros e bares, por isso, para passar o dia, é necessário levar uma bolsa térmica com água e algo para matar a fome. Não esqueça do protetor solar, pois não há praticamente sombra para se esconder do sol. Algumas pousadas fornecem guarda-sol e toalhas para banho de mar.

Imagem

ImagemImagemImagemImagemImagem

Imagem

Baía dos Porcos:

A Baía do Porcos é o cartão postal de Fernando de Noronha. Trata-se de uma praia pequena e charmosíssima, com água de cores lindamente azuis e, ainda, com vista para o Morro Dois Irmãos.

Da passarela de acesso à praia do Sancho, é possível chegar ao mirante que dá vista tanto para a Baía dos Porcos quanto para o Morro dos Dois Irmãos.

Foi na Baía dos Porcos que nós dois fizemos o mergulho de snorkel mais lindo da nossa viagem. Tão logo mergulhamos, demos de cara com um cardume gigantesco de sardinhas e dali em diante era só vida marinha: tartarugas, arraias, caranguejos, peixes e mais peixes de diferentes cores e tamanhos. Um espetáculo para os olhos e para a alma!

O acesso à Baía dos Porcos se dá pela Praia Cacimba do Padre, de onde sai uma trilha curtinha, com trecho de pedras no finalzinho.

Assim como no Sancho, não há infraestrutura na Baía dos Porcos.

ImagemImagemImagem

Praia do Atalaia:

A visita à praia do Atalaia deve ser agendada com antecedência, pois o Instituto Chico Mendes controla o acesso de visitantes por dia. Além disso, não é possível fazer a trilha aos sábados e domingos, pois nesses dias o IBAMA está fechado. O acesso só pode ser feito com guias credenciados e durante a maré baixa. Isso, porque a praia do Atalaia é protegida por recifes e, na maré baixa, forma uma piscina natural rasinha e transparente, concentrando ali um dos principais berçários de vida marinha de Fernando de Noronha.

Para mergulhar nessa piscina natural, é preciso observar algumas regras, tais como não usar protetor solar (nem mesmo no rosto), nem nadadeiras, nem tênis e entrar na água desde o início boiando para não encostar nos corais (por isso, aconselha-se o uso de coletes, o que, na nossa opinião, deveria ser obrigatório).

É inacreditável quanta vida se vê nesse local! Foi aqui que vimos bem de pertinho o primeiro tubarão limão da nossa viagem!!!!

ImagemImagemImagemImagem

Baía do Sueste:

A baía do Sueste é uma praia bonita, de águas de coloração esverdeada e calmas. Possui muitas tartarugas marinhas, o que faz com que o mergulho por aqui seja bastante atraente.

Enquanto estávamos na ilha, a estrutura de controle de acesso do Instituto Chico Mendes à Baía do Sueste ainda não estava completamente implantada. Nos parece que o acesso a esta praia também será condicionado ao pagamento da taxa, informe-se antes.

É no Sueste que está localizada a famosa pousada Maravilha (www.pousadamaravilha.com.br).

Imagem

Imagem

ImagemImagemImagemImagemImagem

Praia do Leão:

A praia do Leão é a maior do arquipélago e também a que possui o maior índice de desova de tartarugas marinhas (informe-se com o Projeto Tamar sobre o período de abertura dos ninhos). O nome “Praia do Leão” veio da rocha que fica em frente à praia e que lembra a figura de um leão marinho deitado. É uma das praias mais desertas de Noronha.

A praia não tem infraestrutura.

Imagem

Praia Cacimba do Padre:

Possui uma faixa de areia extensa e permite a visão de um dos Morros dos Dois Irmãos. A praia da Cacimba do Padre disputa a preferência dos surfistas com a Praia do Boldró. Através da Cacimba do Padre temos acesso à trilha para a Baía dos Porcos.

Imagem

Praia Buraco da Raquel:

O nome dessa praia vem de uma fenda cavada numa rocha pelas águas do mar. Segundo contam, Raquel era a filha de um comandante militar que costumava se esconder nessa cavidade para chorar. O acesso à praia Buraco da Raquel se dá pelo Museu dos Tubarões. Não é uma praia para banho.

Imagem

Praia do Cachorro:

Bastante frequentada pelos moradores da ilha por ser próxima à Vila dos Remédios e ter acesso fácil.

Praia da Conceição:

Localiza-se no pé do Morro do Pico, com acesso pela Vila dos Remédios, a partir de uma estradinha que sai do lado do banco Santander (caminhando pela areia passando pela Praia do Meio e do Cachorro).

Fernando de Noronha - outubro - 2012 131 Fernando de Noronha - outubro - 2012 133

Praia do Boldró:

É a praia que disputa a preferência dos surfistas, com ondas que podem chagar até cinco metros.

ImagemImagem

Praia do Porto de Santo Antônio:

É a praia onde acontece o embarque e desembarque dos barcos de passeio turístico e também das embarcações que abastecem a ilha. Tudo que existe na ilha vem do continente, daí o motivo das coisas em Noronha serem tão caras. Um simples picolé de fruta pode chegar a custar R$ 8,00.

A praia do porto possui águas calmas e perto da sua orla, existe um navio grego naufragado, motivo pelo qual o mergulho de snorkel nesse local é bastante convidativo.

ImagemImagemImagemImagem

Agora que falamos das praias de Noronha, dois alertas são importantes:

– lembre-se sempre que Fernando de Noronha é uma ilha e, como tal, sujeita à fortes correntes marítimas. Assim, evite mergulhar desacompanhado.

– por ser um Parque Nacional Marinho, informe-se sempre sobre as restrições de acesso à praias e trilhas, para evitar problemas com a fiscalização. A coleta de pedras e conchas é crime!